7 de dez de 2011

Em Cartaz - Isto Não É um Filme

O que você faria se fosse sentenciado a seis anos de prisão domiciliar e mais 20 anos de proibição do exercício de uma atividade que é realmente importante em sua vida? Estas questões são abordadas na mais nova produção de Jafar Panahi, Isto Não É um Filme. Panahi foi condenado, o governo iraniano alegou que o cineasta havia feitos filmes "obcenos" e o próprio Panahi foi acusado de ligações com oposicionistas do governo. De fato, esta política nos alude exatamente aos regimes de censura existentes na segunda metade do século XX; vários diretores famosos, como Andrei Tarkovski e Serguei Paradjanov foram presos e proíbidos de voltar às telas por motivos pouco convencionais, que iam desde desvinculação política até homossexualidade nas obras. Infelizmente, em pleno século XXI, parece que ainda encaramos um tipo de política que não é completamente aberta à liberdade de criação e, Panahi é o símbolo disto.  


Como o próprio nome diz, Isto Não É um Filme não se trata realmente de um. A proposta feita pelo cineasta é a de uma forma metalinguística de protesto contra a sua sentença, deste modo, é possível analisar a questão da arte por uma perspectiva muito mais crítica, onde a proibição da livre expressão não chega diretamente à força de vontade do indivíduo para assim mostrar que ainda é possível, mesmo que de uma forma muito sutil, expressar o que deveria ser colocado na grande tela. 

Nesta produção, o lado reflexivo fica muito mais aparente do que em qualquer outra obra; Jafar Panahi conversa com seus espectadores, lhes mostra o seu lado e a perspectiva sobre o regime, sobre as dificuldades de ser um artista em meio a um regime tão autoritário e a tristeza de não poder mostrar a sua criatividade da forma que gostaria. Em Cannes, causou comoção geral e fez Juliette Binoche cair em lágrimas; mostrou o lado mais triste da arte de filmar, aquele lado perigoso, que faz cineastas cairem num abismo, na malha fina da moralidade social, especialmente na conflituosa barreira que separa oriente e ocidente. E a luta a favor de Panahi continua em todos os cantos do mundo. Isto Não É um Filme é, com certeza, um daqueles filmes (ou não-filmes) que valem a pena serem vistos, refletidos, debatidos

Veja o trailer de Isto Não É um Filme, em cartaz nos cinemas: 

Nenhum comentário: