9 de nov de 2011

A Imagem e o Incômodo: O Cinema de Michael Haneke

Michael Haneke, diretor de A Fita Branca (Das Weiße Band), está sendo homenageado na mostra A Imagem e o Incômodo: O Cinema de Michael Haneke, onde serão exibidos todos os filmes do cineasta austríaco.
"Sempre há alguém em uma situação de grande aflição que vê a oportunidade, através da ideologia, para se vingar, se livrar do sofrimento e consertar a vida. Em nome de uma idéia bonita você pode virar um assassino.” - Michael Haneke
Haneke chamou atenção do público e crítica com o filme Violência Gratuita (Funny Games) em 1997, mas conquistou o sucesso internacional em 2001 ao realizar A Professora de Piano (La pianiste) e desde então seguiu se destacando em seus filmes que - de forma generalizada - abordam temas que envolvem violência, questões políticas, filosóficas, e medos existenciais humanos.

Ao lançar Caché (2005), com Juliette Binoche, Haneke atingiu o sucesso absoluto da crítica e público ao receber a Palma de direção no Festival de Cannes, servindo como um gancho para seu último - e mais aclamado - filme A Fita Branca, que ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes e duas indicações ao Oscar em 2010 de melhor fotografia e melhor filme estrangeiro. 
Haneke recentemente está produzindo seu novo filme, intitulado provisóriamente Amour, que será lançado pela Imovision nos cinemas.

Todos os filmes do cineasta - incluindo A Fita Branca - serão exibidos na mostra A Imagem e o Incômodo: O Cinema de Michael Haneke, em cartaz na Caixa Cultural do Rio de Janeiro, do dia 8 a 20 de novembro.

Mais informações no site oficial da Caixa Cultural.

Nenhum comentário: