29 de nov de 2011

Em Breve - A Guerra Está Declarada

A jovem atriz e diretora Valérie Donzelli decidiu contar um pouco sobre sua vida. Ela é apenas mais uma mãe, daquelas que, como qualquer outra, também esteve frente-a-frente com as injustiças da vida. Mais do que isso, Donzelli decidiu dirigir e atuar em um filme que contaria sua trajetória, colocando seus sentimentos à flor da pele em uma história de reviravoltas. Para rodar A Guerra Está Declarada, ela fez um trabalho que, digamos, é muito familiar, pois conta com a atuação de seu marido na vida real, Jérémie Elkaïm e do filho, Gabriel Elkaïm. Ela parece querer mostrar ao mundo inteiro a história de sua verdadeira família, que ao enfrentar um problema, procura manter a positividade. 



A vida de um jovem casal, Roméo (Jérémie Elkaïm) e Juliette (Valérie Donzelli) parece perfeita. A chegada do primeiro filho, Adam, também é uma alegria para os pais, um verdadeiro fruto do primeiro amor. No primeiro ano de vida, descobre-se que o pequeno Adam é portador de um tipo de tumor maligno. Até este ponto, um verdadeiro drama estaria prestes a se formar na vida de tão jovens pais, um acontecimento tão devastador que os levaria ao mais alto grau de depressão. E é exatamente aí que Valérie Donzelli mostra ao mundo que é preciso ter forças para manter a alegria de viver e a esperança de que tudo dará certo no final. Não é incomum ver Roméo e Juliette dividindo seu tempo entre questionamentos dos famíliares curiosos com o estado da criança, entre visitas ao hospital onde Adam recebe tratamento e também entre festas e encontros com amigos. 

Esteticamente, Donzelli buscou contrastes muito claros na utilização das cores, que se entrelaçam entre tons fortes, quentes, quase fluorescentes e tons extremamente frios. Além disso, a utilização de formas arquitetônicas geométricas também se encaixa no conjunto de contrates mostrados, cenas com arquitetura pontiaguda, como as portas dos hospitais, são de grande impacto, ao se correlacionarem com as formas suaves dos momentos em que parece haver algum toque de esperança e felicidade na vida desta família.

Outro ponto que chama a atenção de seus espectadores é a trilha sonora. Embalado por contrastes, é possível separar as quase fanfarras que permeiam alguns momentos com melodias introspectivas, dignas de uma emoção que surge sem dar nenhum sinal, apenas pela harmonia dos elementos estéticos. O grande destaque fica por conta da emocionante The Bell Tolls Five, do artista sueco Peter Von Poehl, música-tema de A Guerra Está Declarada. Peter Von Poehl vem se destacando mais e mais na cena musical europeia e, mesmo iniciando sua carreira em 2006, já foi responsável pela abertura de apresentações de grandes bandas francesas, como Phoenix e Air

A Guerra Está Declarada trata de uma história emocionante, de um drama com um tom de esperança que envolve seus espectadores e, ao seu fim, deixa-os com um sorriso no rosto, mesmo que, na vida real, alguns problemas lhe pareçam tão grandes.

Veja o trailer de A Guerra Está Declarada, que estará em breve nos cinemas:

Um comentário:

Anônimo disse...

Quero ver este filme! O texto nos leva ao filme. Fiquei curioso para assistir e isto já é um bom sinal.