14 de dez de 2011

Em Cartaz - Esses Amores e Para Poucos

O tema do amor livre é retratado de maneira bela e histórica em Esses Amores, de Claude Lelouch. O desejo e a paixão, as livres formas de amar, assim como retratados em Para Poucos, de Antony Cordier, que acaba de entrar em cartaz nos cinemas, são temas que, de fato, formam um cerco perante certos tabus impostos pela sociedade ocidental. 

No caso de Esses Amores, Ilva (Audrey Dana) é uma mulher livre, em plena Segunda Guerra Mundial, que se insere no contexto de uma França invadida pelo exército nazista. Como não poderia ser diferente, ela se apaixona por um soldado alemão, indiretamente ligado à morte de seu pai. Mesmo durante o julgamento pela morte do pai, Ilva continua determinada a viver novas experiências, se apaixonando desta vez por dois soldados americanos ao mesmo tempo. O ciúmes, as diferenças entre os dois e a incapacidade de Ilva em escolher um deles é o foco de um enredo que narra conflitos, desejos insaciáveis e tragédias, com um ar dramático da década de 40. 

Já em Para Poucos, a questão que engloba uma nova forma de encarar o relacionamento amoroso culmina em dois casais; Rachel (Marina Foïs) e Franck (Roschdy Zem), Vincent (Nicolas Duvauchelle) e  Teri (Élodie Bouchez). Eles estão dispostos a viverem um tipo de "quadrado" amoroso, eles se divertem e exploram tabus cuja sociedade recrimina dentro e fora das telas. A troca de casais é retratada de uma forma contemporânea, sensual e, ao causarem um típico choque ao espectador, levam a uma profunda reflexão sobre o que é o amor, o desejo e até que ponto é possível amar tão incondicionalmente a ponto de trair com o consentimento do parceiro. Uma temática de corpos em choque físico, de situações comuns que se entrelaçam no prazer de seus protagonistas, assim, mostrando um foco completamente novo, artístico ao que se consideraria "anormal" para uma sociedade moralista.

Esses Amores e Para Poucos estão nos cinemas, veja os trailers:

Nenhum comentário: