13 de dez de 2011

Em Breve - O Porto

A mais nova produção do cineasta Aki Kaurismäki mostra um horizonte peculiar sobre a vida dos imigrantes ilegais na Europa. Ao contrário das tensões presentes sobre este tema, como retratado em O Silêncio de Lorna, de Jean-Pierre e Luc Dardenne, o cineasta finlandês coloca a questão de uma forma singela e carinhosa, contando a história de um menino africano que chega à Le Havre, uma cidade portuária e, nesta situação, seus habitantes precisam ter compaixão para que possam entendem o universo dos estrangeiros em uma nova terra. 

Aki Kaurismäki, o diretor, se diz extremamente interessado em retratar este mundo, sem luxos nem ostentação. Ele próprio já pensa em Le Havre (nome original) como a primeira parte da sua trilogia, denominada "The Harbor Town Trilogy" (a trilogia da cidade do porto, literalmente); nesta trilogia, o seu segundo filme já até possui nome, "The Barber of  Vigo" (O Barbeiro de Vigo), falando sobre uma cidade portuária da região da Galiza. 

Para ser mais exato, O Porto conta a história de Marcel Marx, um ex-escritor que agora trabalha como engraxate. Ele se preocupa em proteger o jovem Idrissa, um garoto africano que chegou a Le Havre escondido em um container, ao mesmo tempo em que ajuda sua esposa na luta contra um câncer. Nisto, o detetive Monet (referência clara ao artista impressionista), procura por respostas relacionadas ao garoto. Fica evidente que a frieza da  vizinhança é logo derrubada em prol da igualdade de direitos e de uma bonita esperança que toma conta de todos que convivem com Marx. Trata-se de um ponto de vista completamente peculiar sobre a difícil questão que se pauta na xenofobia e na imigração. 

O Porto, de Aki Kaurismäki é um forte candidato à concorrer o Oscar 2012, na categoria de Melhor Filme Estrangeiro e será lançado pela Imovision no primeiro semestre de 2012. 

Nenhum comentário: