14 de out de 2011

Cinema brasileiro da adeus a Leon Cakoff

Hoje é um dia de luto para o Cinema brasileiro. É com muito pesar que nós da Imovision anunciamos o falecimento do crítico e fundador do mais antigo festival de cinema do Brasil em 1977, a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Leon Cakoff.
Jean Thomas Bernardini, Matheus Nachtergaele, e Leon Cakoff
Cakoff dedicou sua vida ao cinema, como crítico, programou o cinema do Museu de Arte de São Paulo (MASP), e em 1977 criou a Mostra de São Paulo que impulsionou a descoberta de novos cineastas e despertou o interesse nos que já estavam nesse ramo.

Cakoff Realizou o curta Volte sempre, Abbas, sobre a vinda de Abbas Kiarostami à Mostra de São Paulo, que foi selecionado para o Festival de Veneza, co-dirigido por sua esposa Renata de Almeida.
No ano 2000 fundou junto a Adhemar Oliveira a distribuidora Mais Filmes, e mais tarde inauguraram o Unibanco Arteplex no shopping Frei Caneca, e a partir disso a rede foi crescendo até se instalar em Porto Alegre, Curitiba e Rio de Janeiro.

Em 2004 organizou o longa Bem-vindo a São Paulo, visão de vários diretores sobre a cidade entre eles Tsai Ming-liang e Mika Kaurismaki. O filme inclui também dois curtas de Cakoff. O primeiro, Natureza-morta, dirigido com Renata de Almeida, e o segundo, Esperando Abbas, influenciado pela cinematografia de Abbas Kiarostami.
Renata de Almeida e Leon Cakoff
Em 2008, produziu e estrelou o curta Do visível ao invisível, dirigido por Manoel de Oliveira e exibido na abertura do Festival de Veneza de 2008 e em 2010, voltou a trabalhar com o cineasta Oliveira, coproduzindo o longa O estranho caso de Angélica.

Leon Cakoff foi uma grande inspiração para o cinema brasileiro, sentiremos muita saudades. 

Nenhum comentário: