1 de set de 2011

Sean Lennon em tributo à Serge Gainsbourg, e a influência do ícone francês na música de novas gerações


No dia 28 de agosto, último domingo, aproximadamente 10 mil pessoas foram ao anfiteatro em Hollywood, região de Los Angeles, prestigiar o cantor francês Serge Gainsbourg em um tributo feito à ele no Hollywood Bowl.
Diversos artistas compareceram e prestaram essa belíssima homenagem ao ícone da música francesa Serge Gainsbourg  e a tudo que ele representa para a história da música mundial.

Entre os artistas estiveram presentes Beck, admirador de Serge e produtor dos últimos trabalhos de Charlotte Gainsbourg, filha do cantor; o ator Joseph Gordon-Levitt (A Origem/ 500 Dias Com Ela); Jean Claude Vannier, que trabalho com Serge por muito tempo, produzia muitas vezes os arranjos de seus discos; Mike Patton da banda Faith No More; Sean Lennon, filho de John; entre outros.
Beck e Joseph Gordon-Levitt no palco do Hollywood Bowl
Sean Lennon fez uma apresentação incrível ao trazer de volta a vida uma dos maiores sucessos do cantor "Bonnie & Clyde", gravada originalmente por Serge e Brigitte Bardot, e se mostrou um grande fã do ícone da música francesa.
Nessa última quinta-feira, 31/08, em uma entrevista à rádio americana WNYC Sean Lennon, juntamente a Sylvie Simmons, resposável pela única biografia traduzida em português de Serge Gainsboug, "Um Punhado de Gitanes", revelou-se total admirador do trabalho do ícone francês:

"Sou fã de Serge Gainsbourg desde jovem, quando comecei a me interessar por música e pesquisar sobre ela. Pesquisei muito sobre música: brasileira, bossa nova, Tom Jobim, e Serge Gainsboug é autoridade na história música européia, e na história da música do mundo no geral. Sou muito fã de pessoas que dedicaram bastante tempo arquitetando as palavras e os arranjos e os acordes, e ele faz isso"

A entrevista de 30 minutos com Sean Lennon, está em áudio em inglês. Para quem entender é belíssimo ouvir o filho de um dos maiores ícones mundiais da música já existentes falando sobre seus ídolos e influências, principalmente quando se trata de Serge Gainsbourg, infelizmente pouco conhecido no Brasil.

Serge Gainsbourg influenciou póstumamente toda uma geração. Podemos encontrar seus arranjos ou talvez uma leve referência a sua obra em diversos artistas não necessariamente realizadores do Rock 'n' Roll, mas de todos os estilos, como por exemplo:

Não tem como dizer que Sensitized não tem influência de Serge Gainsbourg. Os arranjos são parecidíssimos com os "Bonnie and Clyde", e a letra fala sobre ser "energizada pelo prazer e pela dor" e "implorando por mais", que é o tipo de luxo que o cantor icônico era conhecido por ser adepto.

Influência do glamour da música "Orang Outan", interpretada por Jane Birkin.
"The Journey" usa do mesmo recurso que usava Gainsbourg em relação ao eco no baixo, e coloca em sua música uma pitada de brincadeira adicionado ao sex appeal também presente nas músicas Gainsbourg.

Estranhos trompetes como uma chanson de Gainsbourg "Les Oubliettes", mistura de um jazz caprichado, mais glamuroso. De La Soul fez uma homenagem clara a Gainsbourg, pena que morreu sem ter visto a releitura de sua chanson, 2 meses antes da música ter sido lançada.

Usaram como base de suas rimas o "gulping", termo usado para denominar o ato de engolir, inspirado no álbum conceito Histoire de Melody Nelson de Serge Gainsbourg, utilizado como exemplo para vários artistas de diferentes décadas.

De certa forma, toda a carreira de Beck é uma espécie de homenagem a Gainsbourg, mas no seu álbum Sea Change ele toma o artista literalmente como inspiração.
Canção dramática, baixo sensualizado, orquestras ornamentadas em todo álbum. Mais tarde Beck passou a produzir os discos de Charlotte, filha de Serge.

Você pode conferir mais sobre o cantor na cinebiografia Gainsbourg - O Homem Que Amava as Mulheres, de Joann Sfar, em cartaz nos cinemas.

Nenhum comentário: