2 de set de 2011

Saiba porque você não pode perder a estreia de Medianeras hoje nos cinemas

Hoje estreia nos cinemas o aguardado longa de Gustavo Taretto, vencedor de melhor longa-metragem estrangeiro, prêmio do júri popular, e melhor diretor (junto ao mexicano Sebastián Hiriart, de “A Tiro de Piedra”) do 39º Festival de Gramado, e também do Prêmio de Público da Mostra Panorama do Festival de Berlim, Medianeras - Buenos Aires na Era do Amor Virtual.
Mariana (Pilar López de Ayala), e Martin (Javier Drolas) vivem na mesma cidade, na mesma quadra, em apartamentos um de frente para o outro, mas nunca conseguem se encontrar. Eles se cruzam sem saber da existência do outro. Ela sobe as escadas, ele desce as escadas; ela entra no ônibus, ele sai do ônibus. Eles frequentam a mesma videolocadora, sempre com um stand de filmes os separando. Eles sentam na mesma fileira em um cinema, mas não se veem na sala escura.

Não convenceu? Veja algumas críticas de Medianeras e saiba porque você não pode deixar de assistir: 

"O ótimo roteiro (do próprio Taretto) evita qualquer 'caminho fácil', fugindo dos clichês com elegância. Buscando uma analogia interessante entre a evolução da internet e a involução das relações humanas, a trama consegue legar alguns questionamentos importantes após o fim (o que em uma obra 'romântica' é dizer muito!)." Octavio Caruso no UOL Virgula

"Construído de forma delicada e bem-humorada, o roteiro vai aos poucos abrindo as trilhas para os dois futuros apaixonados se conhecerem. O final de uma história como essa, de uma geração que vive conectada aos computadores e desplugada dos relacionamentos humanos, tem tudo para acabar no Youtube, no Facebook ou em outros sites das redes sociais, alimentando histórias semelhantes." Luiz Vita, do Cineweb
Javier Drolas é Martin
"Taretto registra o dia a dia de duas almas gêmeas que poderiam estar usufruindo a mil seu desejo se não padecessem da miopia sentimental provocada pela alienação do mundo digital. Até deixar o mel fluir, o diretor extrai o melhor de seus atores — Pilar, como a vitrinista Mariana, e o ótimo Javier Drolas, como o webdesigner Martín — para construir personagens complexos, ambos submersos na solidão." Rodrigo Fonseca, O Globo

"O roteiro é bem escrito, com frases inteligentes (em particular observações sobre curiosidades e detalhes da cidade de Buenos Aires), o elenco eficiente e o resultado sempre bastante agradável.[...]Há também uma grande sacada ao utilizarem dramaticamente o joguinho Onde Está Wally? e um dinheiro bem utilizado ao comprarem o trechinho mais antológico do filme Manhattan, de Woody Allen, que veem na televisão. Ou seja, um filme encantador e agradável." Rubens Ewald Filho, no R7
Martin e Mariana: submersos na solidão, separados pela alienação no mundo digital

"São sensacionais os primeiros minutos de Medianeras — Buenos Aires na Era do Amor Virtual [...] Em sua arrebatadora estreia em longa-metragem, o diretor argentino Gustavo Taretto comprime o tempo para discorrer sobre como a arquitetura de Buenos Aires se reflete na vida dos portenhos. [...] trata-se de um criativo painel do mundo de hoje, movido por relações virtuais, porém com uma pontinha de esperança na sensibilidade do calor humano." Miguel Barbieri Jr. na Veja São Paulo

Medianeras é o termo utilizado para denominar a fachada sem janelas de dois prédios, um de frente para o outro. Um espaço vazio entre dois prédios, uma analogia sobre o a distância entre os seres humanos num tempo em que tudo está próximo e conectado (devido a internet) mas ao mesmo tempo cria abismos entre a relação das pessoas no mundo real, off-line. Gustavo Taretto usa Buenos Aires como plano de fundo para abordar tema atual e universal sobre a solidão humana.
Medianeras - Buenos Aires na Era do Amor Virtual entra em cartaz hoje em São Paulo: Reserva Cultural, Cine Lumière UOL e Unibanco Arteplex; Rio de Janeiro: Unibanco Arteplex e Estação Ipanema; Porto Alegre: Unibanco Arteplex e GNC Moinhos; e Salvador: Cinema da UFBA.

Nenhum comentário: