16 de ago de 2011

34 anos sem Elvis Presley, o ícone precursor do Rock no Cinema Musical de Hollywood

Dia 16 de agosto há 34 anos atrás, perdíamos em Memphis o mito/ ícone/ rei do rock and roll Elvis Presley.

A carreira de Elvis Presley chamou atenção de muitos quando resolveu lançar seu primeiro LP em 1956 somar ritmo negro ao country e de uma forma mais simples e gestual, explodir o que hoje chamamos de Rock And Roll.

Curiosamente, com a invenção do cinema no final do século XIX, em 1957 Elvis já estava fazendo seu 3º filme: "O Prisioneiro do Rock", a música tema, "Jailhouse Rock" chegou aos topos das paradas e vendeu milhões de cópias. Com isso o rock and roll virou sinônimo de estilo de vida.

Assim o cinema impulsionou a viralização do rock and roll, e o rock impulsionou a industria cinematográfica hollywoodiana. Os filmes de Elvis Presley eram feitos única e exclusivamente para vender as trilhas sonoras, o que do ponto de vista rock'n'roll foi espetacular, pois ajudou ele a se instaurar como rítimo respeitado tanto quanto os outros até então existentes, e o cinema alavancava a promoção da indústria musical.

O grande problema mesmo era para o próprio Elvis, que por mais que tentasse entrar para o mundo da 7ª arte, sempre acabava incorporado no enredo de filmes como estereótipo de galã astro do rock, conquistador e arrasador de corações.

Mas como muitos outros artistas, mesmo Serge Gainsbourg, Elvis teve de sacrificar todos seus anseios em prol a algo bem maior: A disseminação do Rock 'n' Roll e a conquista de seu espaço na mídia e na vida das pessoas.

Elvis atuou em 33 filmes, dentre esses apenas um pode ser considerado (mais ou menos) notável - "Viva Las Vegas" - e em troca teve sua imagem bastante prejudicada. Porém o rock não abandonou o cinema, e mais tarde muitos outros bons filmes com essa temática foram feitos.
É por isso e inúmeros outros motivos que Elvis Presley é eternizado por aquilo que construiu, e por se tornar mais que um ídolo, e também um ícone de toda uma geração que ainda, depois de 34 anos de sua morte, ouve suas músicas e se apaixona por elas cada vez mais.

Nenhum comentário: