28 de jun de 2011

Morre o cineasta, crítico e gestor público de cinema brasileiro Gustavo Dahl

Dia 26/06 faleceu o cineasta Gustavo Dahl, e a Imovision presta uma homenagem à ele que tanto fez pelo cinema brasileiro.

Gustavo Dahl nasceu em Buenos Aires e foi mais tarde naturalizado brasileiro, onde depois de um tempo e interesse pelo cinema se tornou presidente do cineclube do Centro Dom Vital e começou a trabalhar na Cinemateca Brasileira.

Cursou na itália o Centro Sperimentale di Cinematografia, onde frequentavam junto a Gustavo Dahl, Marco Bellochio, Gianni Amico e Bernardo Bertolucci.

De volta ao Rio de Janeiro recebeu os prêmios Coruja de Ouro e Saci pela montagem de "A Grande Cidade" de  Cacá Diegues e mais tarde recebeu o mesmo por "Passe Livre" de Oswaldo Caldeira.

"O Bravo Guerreiro" em 1968 foi o primeiro longa dirigido por ele, que junto com "O Desafio" (de Saraceni) e "Terra em Transe" (de Glauber Rocha) formou a trilogia de filmes políticos da segunda fase do Cinema Novo.

Seu filme "Uirá, um índio em Busca de Deus" foi uma porta para que iniciasse seu trrabalho de gestor público de cinema, e assim permaneceu até o dia de sua morte.

Foi presidente da Associação Brasileira de Cineastas, da Concine, do Conselho Nacional de Direitos Autorais, propôs a criação de uma Secretaria Nacional de Política Audiovisual, e em 2001 com a criação da ANCINE foi nomeado seu primeiro diretor-presidente.

No dia 26 de junho deste ano Gustavo Dahl morreu de infarto enquanto assistia a um filme, mas deixa um incrível legado de filmes que valem a pena conferir como "Tensão no Rio", "Uirá, um Índio em Busca de Deus", o documentário "Missão Artística Francesa" entre muitos outros que marcaram nosso cinema durante anos.

Nenhum comentário: