13 de jun de 2012

O Velho e Bom Cinema Russo: Alexander Sokurov em pauta


Neste 29 de junho, Fausto o mais novo - e aguardado - filme do cineasta russo Alexander Sokurov, estreia nos cinemas.

Fausto é uma adaptação livre da tragédia que inspirou o escritor alemão Goethe a compor o poema "Fausto", monumento literário dividido em duas partes, considerado simbolo da modernidade e um marco da literatura ocidental.

Fausto é a famosa lenda do Dr. Fausto, um homem da ciência, a frente de seu tempo, que depois de tanto conhecimento, anseia em desfrutar dos prazeres mundanos. Tentado pelo demônio Mefistófeles a conseguir o que deseja, Fausto cede a ele sua alma através de um pacto, em troca de dinheiro e da mulher que ama.

Hoje, quarta-feira (13), o Laboratório de Estudos da Ásia (LEA/USP) receberá a Profª Drª Neide Jallageas que proferirá a palestra O velho e bom cinema russo: o que é feito dele no século XXI? com o objetivo de colocar em discussão informações e materiais colhidos em sua recente pesquisa realizada em Moscou, no Centro Eisenstein de Pesquisa, vinculado ao Museu Estatal de Cinema Russo. Entre os cineastas em questão, comentará o trabalho de Alexander Sokúrov.

A convidada é especialista em cinema russo e desenvolve pesquisa de pós-doutorado no Departamento de Literatura e Cultura Russa da Universidade de São Paulo (FFLCH/DLO/USP), com bolsa Fapesp. É também coordenadora do Grupo de Pesquisa Eisenstein no Século XXI [GP E.XXI], composto por jovens pesquisadores, responsável pela publicação dos cadernos de pesquisa kinoruss cujo objetivo é disponibilizar os resultados do seu processo investigativo do GP E.XXI e viabilizar interlocuções criativas com pesquisadores e artistas convidados, do Brasil e do exterior.

O evento acontece hoje, 13 de junho.
Horário: 18h30
Local: Auditório História (FFLCH/USP)

Também nesta semana, sábado, 16 de junho, acontece o Sábado Russo. Os cadernos de pesquisa kinoruss integram o Projeto de Pesquisa Eisenstein no Século XXI - confluências potenciais entre o cinema e as artes de extração russa, e nesta edição o objetivo é estabelecer relações entre a filmografia do cineasta Aleksandr Nikoláievitch Sokúrov (1951- ) com os temas e as artes que lhe são caras: o Japão, as tensões que se estabelecem entre Rússia e Europa, a pintura, a literatura e a música.

Uma tarde toda organizada pelo GP E.XXI, na Casa Contemporânea, em que serão apresentadas realizações artísticas que dialogam diretamente com a produção de Sokúrov e a cultura russa, tais como a leitura de poemas de Akhmátova, Blok e Púchkin, por Mario Ramos e Arlete Cavaliere; apresentação de audiovisuais de autoria dos pesquisadores do GP E.XXI: Breno Morita, Fabiola Notari, Juliana Rosa e Mônica Berto e as convidadas Cassia Hosni e Patrícia Osses; apresentação da composição sonora fragmento de retrato para sokúrov, de Marcus Siqueira com violino solo de Simona Cavuoto; performance com Tieza Tissi e Priscilla Herrerias. Os cadernos serão apresentados por Neide Jallageas, editora do kinoruss.

Para abrir as atividades, será exibido o longa-metragem de Sokúrov, inédito no Brasil, Dolorosa Indiferença (1983-87). O filme, após várias interrupções no processo de produção, foi lançado no início da Perestróika, em 1987, e exibido, no ano posterior, no Festival de Cinema Internacional de Berlim (1988) e baseia-se no texto dramatúrgico de George Bernard Shaw, Heartbreak House, escrito durante a Primeira Grande Guerra. A sessão terá legenda em espanhol.

Data: 16/06/2012
Horário: a partir das 16h
Local: Casa Contemporânea
Endereço: Rua Capitão Macedo 370 - Vila Mariana – São Paulo/SP
Telefone: 11 2337.3015

Nenhum comentário: