4 de jul de 2011

Grafites no muro da casa onde viveu Gainsbourg vira animação em 3D

A casa onde viveu Serge Gainsbourg nunca foi tocada desde o dia em que seu corpo foi retirado de lá. Pertence a atriz Charlotte Gainsbourg, filha de Serge com Jane Birkin, que tomou a decisão de mantê-la intacta do jeito que seu pai deixou e que assim gostaria que permanecesse.
A casa continuou intacta, porém já não podemos dizer o mesmo dos muros que a cercam. Os muros da casa onde viveu Serge Gainsbourg é inteiro coberto de grafites feitos por admiradores, fãs, artistas e milhares de pessoas que apreciam a arte do músico, poeta, pintor e mais um pouco Serge Gainsbourg.

Os muros grafitados chamam tanta atenção que não escaparam aos olhos de Arnaud Jourdain, um designer francês adorador de Serge Gainsbourg, que desde 2005 fotografou as mudanças dos muros de sua Maison Noire.

Arnaud Jourdain pegou todas as fotos que tirou no decorrer dos anos e deu movimento a elas: Fez uma animação em 3D com a mudança dos grafites e as sobreposições. 

As mudanças dos grafites e as sobreposições foram mudando com o tempo, devido também ao fato de que para a gravação de  "Gainsbourg: O Homem Que Amava as Mulheres" os muros foram pintados de branco, e mais tarde grafitados pelo diretor Joann Sfar (que fez a mão o storyboard inteiro do filme "Gainsbourg: O Homem Que Amava as Mulheres" para garantir que fosse exatamente do jeito que queria).
Storyboard de "Gainsbourg: O Homem Que Amava as Mulheres"

A cinebiografia  "Gainsbourg: O Homem Que Amava as Mulheres" estreia esse mês nos cinemas brasileiros. Confira um trecho do filme:


Eric Elmosino como Serge Gainsbourg, Laetitia Casta como Brigitte Bardot e a incrível semelhança de ambos os personagens com os verdadeiros cantando "Bonnie & Clyde" ao piano.

A arte feita por Arnaud Jourdain é incrível, e nos mostra o quão ovacionado e querido Serge Gainsbourg foi, e o quanto influenciou e ainda influencia a vida de artistas que nem imaginamos.
Em um dos grafites, uma frase do filme Amélie Poulain parece traduzir bem o sentimento nostálgico que a morte de Serge Gainsbourg causa nos fãs:
 "Sem você as emoções de hoje são nada mais do que uma pele morta das emoções de tempos passados".

Nenhum comentário: